NOTÍCIA

Rios para a vida, não para a morte!

Rios para a vida, não para a morte!

Declaração do Movimento Ríos Vivos Antioquia a respeito da decisão da EPM de fechar as comportas da usina de Hidroituango, matando o rio Cauca.

Como comunidades afetadas por Hidroituango, expressamos à opinião pública nacional e internacional nossa profunda tristeza pelo crime ambiental e social que as Empresas Públicas de Medellín (EPM) estão cometendo maliciosamente, contra nosso patrono Mono (o rio Cauca, o belo Bredunco ), o segundo mais importante do país do qual dependemos cerca de 10 milhões de pessoas

NUNCA pediríamos, com o falacioso argumento de nos protegermos, de assassinar o rio que nos dá vida, do qual dependem a nossa cultura, alimentação e economia. Não aceitamos que nos façam supor que este crime foi por nós, não carregaremos na nossa consciência que tem lutado com dignidade para evitar o que hoje sofremos. Exigimos respeito deles. Eles o fazem única e exclusivamente em nome de seu projeto de morte, que é sua verdadeira prioridade.

Ao contrário do que foi dito em entrevista coletiva pelo gerente da EPM (Jorge Londoño de la Cuesta) na presença do governador de Antioquia (Luis Pérez) e do prefeito de Medellín (Federico Gutiérrez), o rio não será o mesmo e nem nós. pela sua vida e pela força que hoje foi tirada, os sedimentos que estão sendo represados, seu fluxo abundante, a temperatura de suas águas e as margens hidratadas que hoje sofrem erosão com tantas flutuações; tudo isso é dado por causa de sua loucura, porque eles não sabem que não têm idéia de que é um rio, um ecossistema muito complexo para ser compreendido com os olhos da ganância e da destruição.

Avisaram-nos que não haveria água e que não se sabe por quanto tempo. Contar com o carro-tanque, solução da EPM, para ter água é uma nova angústia criada pela Hidroituango.

A responsabilidade pelo que acontece ao rio e às comunidades é de todos os que aceitaram este projeto de morte, da Agência Nacional de Licenciamento Ambiental (ANLA), autoridade ambiental que mais se parece com o advogado da EPM, de instituições cúmplices que Eles continuam a ignorar a realidade e a chamada de liberdade que o rio clama.

A morte do rio é nossa própria morte. EPM trouxe fome e desolação. Os grupos fora da lei cresceram e isso também é responsabilidade deles, as crianças entraram nesses grupos por causa da fome, as famílias não precisam comer e a única opção é a violência.

Não tentem nos convencer de que somos prioridade quando há 10 anos nos ignoram, nos deslocam, maltratam, humilham, violam nossos direitos, mentem, perseguem, nos deixando sem trabalho, sem comida, sem tranquilidade e sem moradia. Eles roubaram tudo o que tínhamos, nossa vida e agora estão atacando um bem natural de toda a Colômbia. A única maneira de realmente proteger a vida no Cânion do Rio Cauca, Baixo Cauca, e de salvar o rio é desmantelando Hidroituango.

Rios para a vida, não para a morte!


Relatório de ontem, 6 de fevereiro ...:

Fonte: https://riosvivosantioquia.org/no-en-nuestro-nombre/


Vídeo: Frei Gilson. Acoustic Som do Monte. DVD - Tu És o Centro (Janeiro 2022).