TEMAS

Maker Faire Rome 2019: inovação e sustentabilidade em exposição em Roma

Maker Faire Rome 2019: inovação e sustentabilidade em exposição em Roma


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Arquimedes do terceiro milênio pensa verde. E para eles, os inventores que se preocupam com o meio ambiente, Maker Faire Roma 2019, o maior evento de inovação do mundo agendado em Fiera di Roma até domingo, 20 de outubro, dedicou um pavilhão inteiro: Repensar, nomeadamente Bieconomia, Economia Circular, Energia, Alimentação e Agricultura.

Até o evento em si cuida do meio ambiente, aliás a partir deste ano Maker Faire Rome é neutro em carbono: controle de emissões, plantio de árvores na Guatemala para compensação de CO2, uso de energia elétrica inteiramente renovável e redução de plástico descartável, além da instalação de ilhas ecológicas com contêineres para reciclagem. Expositores de todo o mundo, para a edição 2019, incluindo artistas e "makers", desde particulares a grandes empresas.

Maker Faire Roma 2019: destaques das arquibancadas

O estande é impressionante Eni dentro do pavilhão 3 (600 metros quadrados) que centra a sua presença na feira nos projectos inovadores que a empresa está a experimentar para produzir energia através da água, também numa perspectiva de economia circular: o mood The Blue Loop.

Um espaço onde eles se destacam tanques hidropônicos como um exemplo de cultivo alternativo e virtuoso, animado por atividades de laboratório com jovens sempre no signo da sustentabilidade.

Quatro projetos em exibição que a Eni está implementando para extrair energia limpa do mar: ISWEC um verdadeiro “Berço da Energia”, tecnologia italiana capaz de transformar as ondas em energia econômica e ecologicamente sustentável. Power Buoy, tecnologia de produção de energia das ondas capaz de aumentar a excelência operacional das atividades offshore.

Lugar, o primeiro exemplo nacional de conversão de uma plataforma em sistema aquícola integrado, com vista a uma economia circular de apoio ao desenvolvimento sustentável do mar.

Biofixação intensificada de CO2, que reproduz o processo natural de fotossíntese da clorofila para a produção de bio-óleo utilizando apenas microalgas, CO2 e luz solar.

"ISWEC (conversor de energia das ondas do mar inercial) - explica Andrea Alessi, Gerente de projeto de energia marinha da Eni - é um projeto realizado com a Politécnica de Torino (PoliTO) e Wave for Energy (spin off da PoliTO) para a produção de energia das ondas combinada com fotovoltaica e armazenamento de energia (sistema fotovoltaico instalado na plataforma e baterias inseridas no ISWEC). O "berço de energia ", é como o chamamos, é capaz de converter a energia das ondas do mar em eletricidade, conseguindo se adaptar às condições do mar para garantir alta eficiência de conversão: Eni lançou com sucesso este projeto no litoral de Ravenna.

De uma perspectiva de economia circular nossas plataformas estão se tornando os precursores para a construção de centros reais para a captação e uso de energia renovável do movimento das ondas».

Muito interessante, novamente, é o projeto de Biofixação iCO2 intensificado explicado por Filomena Castaldo, Gerente de projeto de desenvolvimento da Eni: «Criámos um reactor biológico com microalgas alimentadas com CO2 e luz solar, reproduzindo a fotossíntese. A partir dessas microalgas, farinha de algas é produzida a partir da qual um bio-óleo de terceira geração, para ser usado, por exemplo, como alimento para a produção de biodiesel. Um protótipo de Biofixação intensificado já foi construído em Ragusa ».

Mas são vários os projetos que merecem destaque na feira. Entre estes AgriBioM, start-up nascida em 2018, vencedora da primeira edição do prêmio Circular Economy Network, a spray bio mulch totalmente feito a partir de resíduos agroindustriais, uma verdadeira alternativa aos plásticos usados ​​na agricultura que acabam prejudicando o meio ambiente, produto já utilizado na Itália e no exterior.

Muito interessante o secador inteligente para massas alimentado por energia solar estudado por Crio (Council for Agriculture and Agricultural Economics Analysis) que utiliza fonte renovável e é gerenciado por software externo que controla a temperatura e a umidade do produto.

O plástico, a sua reutilização e substituição são um dos temas centrais desta época. Enéias no Centro de Pesquisa de Brindisi ele criou um embalagem totalmente biodegradável partindo de resíduos de laticínios. O projeto se chama Biocosì e pode se tornar uma verdadeira alternativa às embalagens de poliestireno para alimentos.

Maker Faire Roma 2019 é também o local que permite aos muito jovens mostrar talento e engenhosidade. Deste ponto de vista, os dois projetos apresentados por menores de 18 anos são surpreendentes.

O primeiro é chamado Barbárvore e para explicá-lo são Matteo e Lorenzo, os dois alunos do IIS Gae Aulenti em Biella que fizeram o protótipo em 2018: «Nosso robô, equipado com inteligência artificial, é totalmente autônomo, podendo interagir com humanos. Seu propósito é monitorar remotamente as necessidades das plantas e protegê-las dos animais que são prejudiciais sem consequências para os últimos, utilizando apenas ultrassons e sons de predadores.

Com este projeto ganhamos o Prêmio Miur nas Olimpíadas de Robótica (2019) ao competir na categoria Terra».

O outro protótipo verde verdadeiramente inovador é assinado por quatro jovens vencedores das Olimpíadas de Robótica 2019: Giorgio Bernardini, Alberto Conte, Luca De Ponti e Tommaso Pavletic, alunos do Instituto Superior de Liceti em Rapallo (Gênova). Para ilustrar o projeto, que já recebeu a atenção de grandes investidores, estão Tommaso e Luca: «Hidrocarbot é um robô, movido por painéis solares, que permite que você absorver hidrocarbonetos da água através de uma esponja especial fornecido pelo Instituto Italiano de Tecnologia. O robô é apoiado em dois tubos de pvc flutuantes e pode ser dirigido por meio de um controle remoto. A ideia nasceu a partir dos acontecimentos ocorridos na nossa cidade em outubro de 2018, quando o porto de Rapallo foi destruído por uma tempestade que resultou em um derramamento de combustível de navios no mar que ainda não foi coletado».

Maker Fair Roma 2019: curiosidade

PARA Maker Fair Roma 2019 curiosidades não faltaram. Lá Máquina de sorvete impressa em 3D feito por Roberto Colucci, antigo sorveteiro, cheio de água e sal e movido a uma manivela simples.

BikerTop, uma capa móvel para bicicletas desenvolvida pela start-up Smart Mobility Solution e vencedora do concurso Seed Money da província de Trento.

E finalmente, Bentu a turbina eólica portátil nasceu de uma ideia de Daniele Valentini, desenvolvida em colaboração com o Departamento de Engenharia Industrial de Roma, Tor Vergata, com a participação de Vincenzo Mulone e Leonardo Mascarino.

Com curadoria de Sabrina Mechella

Artigo Patrocinado



Vídeo: A Look Back at Maker Faire Rome 2019 (Pode 2022).